EnglishPortuguese

FAÇA PARTE DO FUTURO DA PESCA OCEÂNICA

Institucional

O Downwind Group lança em 2023 um projeto INOVADOR e ÚNICO, SOTTOVENTO FIAGRO IV (FIP/FIDC), com atuação exclusiva em Pesca Oceânica – SEAS BRASIL

LEAD INVESTOR

Empresário, Investidor, Administrador de Empresas, Advogado, legal mentoring, fundador do Downwind Group. Participa intensamente da definição de estratégias de investimentos.

A Pesca no
Mundo

O crescimento significativo da aquicultura levou a pesca global e a produção aquícola a um nível recorde em 2020, uma vez que os alimentos aquáticos representam uma contribuição cada vez mais crítica para a segurança alimentar e nutricional no século XXI, de acordo com relatório da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura FAO/SOFIA 2022.

À medida que o setor continua a se expandir, são necessárias mudanças transformadoras mais direcionadas para alcançar um setor de pesca e aquicultura mais sustentável, inclusivo e equitativo.

Uma “Transformação Azul” na forma como produzimos, gerimos, comercializamos e consumimos alimentos aquáticos é crucial se quisermos alcançar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da ONU.

178

MILHÕES

DE TONELADAS
PRODUZIDAS

49%

PROTEÍNA ANIMAL

EXPORTADA
NO MUNDO

$ 406

BILHÕES

EM VOLUME
TRANSICIONADO

600

MILHÕES

DE PESSOAS NA CADEIA PRODUTIVA (59MM NO SETOR PRIMÁRIO)

A Pesca no
Brasil

A pesca é a atividade comercial praticada ao longo de todo o litoral brasileiro, que compreende 8.500 km de costa, e se estende por mais 4,5 milhões de km  de zona econômica exclusiva e águas

internacionais adjacentes, apresentando, portanto, elevada importância social e econômica.


Ademais, o Brasil possui 12% de toda a água doce do planeta, o que lhe confere um imenso potencial para o desenvolvimento de sua aquicultura.

A atividade pesqueira é regida pela Lei nº 11.959, de 29 de junho de 2009, que dispõe sobre a Política Nacional de Desenvolvimento Sustentável da Aquicultura e da Pesca.

De acordo com o artigo 39 da Medida Provisória nº 154/2023, de 1 de janeiro de 2023, compete ao Ministério da Pesca e Aquicultura tratar da política nacional pesqueira e aquícola, inclusive a gestão

do uso dos recursos e dos licenciamentos, das permissões, dos registros e das autorizações para o exercício da aquicultura e da pesca.

O Brasil em Números

A produção de peixes em 2021 atingiu quase 840 mil toneladas no Brasil, sendo cerca de 1/3 oriundas da Pesca Oceânica e 2/3 da Aquicultura.

A receita gerada pela pesca brasileira chegou próximo a USD 8 bilhões, sendo a piscicultura responsável por cerca de 1 milhão de empregos diretos e indiretos.

No Brasil, ainda que crescente, o consumo de pescados está próximo a 10kg/habitante por ano, sendo a recomendação da FAO de 12kg/habitante por ano, enquanto os países com maior

consumo no mundo superam a marca de 50kg/habitante por ano.

4,4

MILHÕES KM 

ZEE + EXTENSÃO PLATAFORMA CONTINENTAL

840

MIL

TONELADAS
PRODUZIDAS EM 2021

10KG

CONSUMO

POR HABITANTE

>25º

RANKING

PRODUÇÃO
GLOBAL

A Pesca no
Brasil

A pesca é a atividade comercial praticada ao longo de todo o litoral brasileiro, que compreende 8.500 km de costa, e se estende por mais 4,5 milhões de km de zona econômica exclusiva e águas

internacionais adjacentes, apresentando, portanto, elevada importância social e econômica.

Ademais, o Brasil possui 12% de toda a água doce do planeta, o que lhe confere um imenso potencial para o desenvolvimento de sua aquicultura.

A atividade pesqueira é regida pela Lei nº 11.959, de 29 de junho de 2009, que dispõe sobre a Política Nacional de Desenvolvimento Sustentável da Aquicultura e da Pesca.

De acordo com o artigo 39 da Medida Provisória nº 154/2023, de 1 de janeiro de 2023, compete ao Ministério da Pesca e Aquicultura tratar da política nacional pesqueira e aquícola, inclusive a gestão

do uso dos recursos e dos licenciamentos, das permissões, dos registros e das autorizações para o exercício da aquicultura e da pesca.

4,4

MILHÕES KM 

ZEE + EXTENSÃO PLATAFORMA CONTINENTAL

1,3

MILHÃO

TONELADAS
PRODUZIDAS EM 2021

10KG

CONSUMO

POR HABITANTE

>25º

RANKING

PRODUÇÃO
GLOBAL

Estamos criando um Ecossistema

SOCIAL

Melhoria da qualidade de vida dos profissionais de Pesca Artesanal

MEIO AMBIENTE

Respeito ao meio ambiente e aos limites sustentáveis das espécies-alvo

TRANSPARÊNCIA

Captura legal e sustentável

INDÚSTRIA

Parcerias visando fomentar Estaleiros e Frigoríficos.

TECNOLOGIA

Disponibilidade de dados em tempo real e rastreamento

RESÍDUOS

Beneficiamento dos resíduos de peixes que iriam para aterros sanitários ou lixões

Vamos operar
em Fases

O Fundo Sottovento Fiagro IV – Seas Brasil vem transformar o mercado de pesca no país.

Traremos capital de investidores qualificados, expertise na operação e qualidade nos serviços.

Faremos a pesca de maneira sustentável e apoiaremos as Comunidades Ribeirinhas, além de

gerarmos emprego em diversos níveis da cadeia pesqueira.

Operaremos em fases consecutivas e complementares.

FASE 1

Contratação de operadores regionais para a preparação do pescado.

FASE 2

Parceria com estaleiros para produção de barcos pesqueiros.

FASE 3

Beneficiamento dos resíduos de peixes para utilização como ração e outros produtos

Fase 1: Seas Brasil

R$ 100
MILHÕES

Investidos no
primeiro ano

65
EMPREGOS

Geração de 65 empregos diretos no primeiro ano

MIL TONELADAS

De pescado produzido em 12 meses

20%

Margens operacionais saudáveis

A operação do Seas Brasil Pescados ocorrerá, inicialmente, através da contratação de serviços de
operadores no Nordeste do Brasil (Natal/Recife), trazendo geração de para a região, bem como criando
apoiando a geração de valor do empresariado local.

Fase 2: Estaleiros

Parceria com Estaleiro Rio Maguari em Belém do Pará.

16
BARCOS

Serão produzidos com o Estaleiro do Brasil

R$ 22
MILHÕES

É o custo máximo de produção de cada barco, variando de R$ 10 a 22 milhões

15
MESES

É o tempo médio de produção de cada embarcação.

R$ 300
MILHÕES

Serão investidos na indústria naval de pesca

Projetos
de Barcos

Barcos para
Locação

A SEAS BRASIL INICIARÁ AS OPERAÇÕES COM BARCOS NA MODALIDADE LOCAÇÃO, ENQUANTO AGUARDAMOS
A CONSTRUÇÃO EM ESTALEIRO NACIONAL (FASE 2).

Exemplo de Embarcação disponível para arrendamento, localizada em Pernambuco, empresa parceira do projeto.

Fase 3: Beneficiamento de Resíduos

Da pesca resulta uma quantidade relevante de resíduos. Em média, 50% do volume pescado vira resíduo, sendo que, em média, 70% desse volume de resíduos são descartados.

Nós trabalharemos com métodos que envolvem processos de geração, coleta, destinação, tratamento e beneficiamento, buscando metodologias eficientes e pouco onerosas que resultem em impactos ambientais na menor escala possível e que acrescentem renda aos trabalhadores que dependem basicamente da atividade pesqueira.

O material orgânico originado do beneficiamento de pescado, se bem preparado, torna-se uma fonte economicamente viável de proteínas de alta qualidade, óleos, vitaminas e minerais, além de conter nutrientes que contribuem para a biodiversidade ecológica, como: nitrogênio, fósforo, carbono e potássio.

Fase 3: Projeto Ração

Parcerias para beneficiar resíduos de peixes que iriam parar em aterros sanitários ou lixões.

1. Reaproveitamento

Matéria-prima passa por processo de beneficiamento e se transforma na farinha e óleo

2. Coleta

Feita em parceria com peixarias, filetadores e mercados públicos

3. Cozimento

Processo que “frita” o alimento para dessecar

4. Separação

O resíduo é triturado
e dividido em água,
farinha e óleo

5. Processamento

Água e farinha vão para as Estações de Tratamento
para refino e purificação

6. Destino Final

Produto volta ao ciclo de produção como insumo de ração de alta qualidade

“somente 30% do pescado é aproveitado. Os outros 70%, vísceras e cabeça, são jogados fora, o que além dedesperdício, pode gerar graves impactos ambientais” – Centro de Energia Nuclear da Agricultura da USP (Cena/USP).

*Construção da
fábrica em NATAL/RECIFE

Investimentos
privados superiores a

R$ 100 milhões

Comitê Executivo

LEAD INVESTOR

Marcio Barbero

Empresário, Investidor, Administrador de Empresas, Advogado, legal mentoring, fundador do Downwind Group participa intensamente da definição de estratégias de investimentos.

ESPECIALISTA TÉCNICO

Rodrigo Hazin

Profissional atuando desde 1989 na indústria da pesca, é atualmente membro do comitê de gestão dos atuns do ministério da pesca e aquicultura e co-fundador da aliança do Atlântico para o atum sustentável e da Iniciativa Open Tuna.

DIRETOR

Reinaldo Zangelmi

Diretor no DownwindGroup, Membro do PRIME CLUB, Conselheiro, Business Developer, M&A Startup Mentor & Investor, Venture Builder, Sócio na Barbero Advogados.

ESTRUTURAÇÃO

Aldir Foelkel

Empresário, Advogado e contador, com mais de 30 anos de experiência nacional e internacional, no desenvolvimento e estruturação de negócios e companhia nos segmentos de construção civil, indústria, entretenimento e agronegócios.

A Sottovento conta também com uma equipe multidisciplinar e altamente qualificada para estruturar, gerir e distribuir instrumentos financeiros e soluções sofisticadas no mercado de capitais.

Dentre os diversos produtos que estão sendo desenhados e desenvolvidos pela Sottovento temos o

Iniciativa para desenvolvimento
da Pesca Oceânica

Audiência com o Exmo. Sr. Ministro da Pesca e Aquicultura André de Paula, com a participação do Ilustre Deputado Federal Carlos Sampaio (PSDB-SP), e equipe técnica do ministério Helinton Rocha Diretor do departamento da indústria do Pescado.

APOIO:

Investidor Líder

A Sottovento utiliza cookies para melhorar sua experiência no site e para coleta de dados. Ao navegar no site você concorda com nossa Política de Privacidade.